Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ninguém é feliz sozinho

Ninguém é feliz sozinho

A mobilidade em Lisboa

metro 1.jpg

Baixou este ano, significativamente o preço dos passes mensais para os transportes públicos na zona da Grande Lisboa. Boa medida, finalmente, diremos todos. 

É preciso agilizar o transporte público, reduzir a utilização de viaturas privadas, ordenar o estacionamento citadino. Tudo  intenções louváveis.

Mas o que aconteceu na verdade? Houve de facto um aumento de uso dos transportes coletivos, que não estavam, nem  brevemente estarão, preparados para tal enchente. Os comboios vão cheios e não respeitam os horários estabelecidos, os barcos são escassos para a afluência e então do Metro nem se fala.

O pessoal vai ali entalado, sem espaço para respirar e a rezar para que ao menos não haja interrupções na linha e a viagem passe rápido.

E  os carros na cidade parece que não diminuíram, pelo menos que se veja. 

Pois é, as boas intenções só, não chegam é preciso mais.

 

 

Outra vez os transportes públicos de Lisboa

se lisboa.jpg

 

Afirmar que «a realidade é que os deficitários transportes públicos de Lisboa e subúrbios circulam desafogados e sem gente. E a razão ...é porque ninguém usa os transportes públicos, a não ser os muito pobres e os imigrantes», é uma falsidade. 

Tal falsidade saiu da pena da Clara Ferreira Alves, na sua crónica da revista do semanário «Expresso», desta semana.

Os transportes públicos de Lisboa são usados diariamente por milhares de pessoas, basta consultar as estatísticas das respetivas empresas. O metro e os comboios costumam ir cheios, quanto aos autocarros talvez seja mais variável, mas as filas para estes costumam ser enormes, conforme os horários e os locais das paragens. 

Outra falsidade é dizer que só os muito pobres e os imigrantes é que andam de transportes públicos. Donde surgiu tal ideia a esta senhora?  Em que limbo vive? Como se desloca em Lisboa, por via aérea?

Os transportes públicos fazem falta a todos, aos que os usam, e aos que os não usam, mas que também agradecem pela melhoria do trânsito e da qualidade do ar.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D