Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ninguém é feliz sozinho

Ninguém é feliz sozinho

Não pedimos para nascer. E para morrer?

pa.jpg

Ninguém pede para nascer. E para morrer, pode-se ou não pedir?

Este assunto encontra-se em discussão nas sociedades ocidentais. Viver, viver muitos anos, com saúde física e mental, devia ser o objetivo de todos nós. Mas por vezes, os avanços da medicina parece que conduzem ao prolongamento da vida para além do desejável.

A recente decisão de um cidadão australiano de 104 anos de idade, David Goodall, de se deslocar à Suíça para pedir a eutanásia, tendo expirado na quinta-feira passada, leva-nos a refletir. Depois de uma longa e preenchida vida dedicada ao estudo e investigação, as limitações da idade, a falta de vista e de mobilidade, sobretudo, conduziram-no a essa decisão.

Ainda tentou resolver o assunto, pelos seus meios, mas foi reanimado num hospital australiano, país que admite a eutanásia em situações de doenças terminais, o que não era o caso.

Nas suas últimas declarações, referiu, «a sociedade não deve obrigar ninguém a permanecer vivo, isso é crueldade.»

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D