Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ninguém é feliz sozinho

Ninguém é feliz sozinho

Herança escondida

 

LEBRE.jpg

Quando nos chega às mãos um objeto antigo, que tenha conhecido outros donos e poisos, bastas vezes nos perguntamos a sua origem e a sua história.

Obra preciosa, de Edmund de Waal, «A lebre de olhos de âmbar», dá-nos conta disso. Descreve uma coleção. pertença dos seus antepassados, de 264 pequenas esculturas de madeira e marfim, não maiores do que uma caixa de fósforos, que saíram do Japão no século dezanove e desembarcaram em Paris, regressando depois da segunda guerra mundial ao Japão, até voltarem de novo à Europa, desta vez ao Reino Unido, onde vive o autor, que é agora o seu dono.  A descrição do percurso das peças através de gerações, acompanha por isso, a história europeia e mundial, as suas mudanças e conflitos.

Este relato fez-me lembrar a história de um velho louceiro familiar, tão grande e tão pesado que tinha ficado esquecido no quarto interior da casa de uma avó. Há muitos anos, uma das filhas apoquentada com os altos e baixos da vida e depois de ter sido obrigada a vender os seus poucos pertences por causa das dívidas de jogo do seu marido, veio resgatá-lo. O móvel foi desmontado, limpo, encerado, as prateleiras foram forradas e encheu-se de coisas bonitas. 

O velho louceiro ainda hoje pontifica numa sala e está pronto para novas aventuras.

 

 

 

 

Nuvens negras

 

cinzento ceu.jpg

 

Andam por aí muitas nuvens negras. O covid, as crises económicas, políticas e muitas mais, que isto tem sido um fartar, mas agora ainda se junta a crise de falta de materiais.

Pois é, faltam as peças, faltam os materiais e ninguém sabe quando chegarão. Talvez na próxima semana, talvez sim ou talvez não...

Dias antes do Natal, foi a minha vizinha às compras de alimentos na praça e no talho. Carregou os víveres para o carro, e verificou desapontada que este não andava.  Nada mesmo nada. Não tinha bateria. Chamou o reboque, trouxe as coisas para casa conforme pôde. E o carro ficou na rua e por lá tem permanecido até à data, pois não há baterias e nem se sabe quando virão, talvez para a semana...ou talvez não.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D