Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ninguém é feliz sozinho

Ninguém é feliz sozinho

A minha rica casinha

casinha.jpg

Para a maioria dos portugueses jovens arrendar ou comprar casa, sobretudo nas cidades de Lisboa e Porto, é cada vez mais inacessível.

E isto pela lei básica da economia,  a oferta é escassa e a procura é muita.

Nos últimos anos, quer pela falta de construção nova, quer pelo desenvolvimento turístico, os preços das casas têm vindo a subir. Empregos há agora mais, felizmente, mas os salários não têm aumentado, pelo contrário, o salário médio tem descido.

Claro que as políticas de arrendamento erradas, impedindo o aumento das rendas e dificultando o despejo dos incumpridores, não vão favorecer este mercado.  

Por outro lado, ao passear pelos centros urbanos ou ao entrarmos num qualquer site de imobiliário, fica-se facilmente maravilhado com as recuperações e as decorações que os apartamentos apresentam.

Mas tudo caro, muito caro.

Agora o que não  se compreende, é como, nesta escassez, havendo casas já recuperadas e prontas a serem arrendadas, estejam há mais de um ano, desocupadas esperando pela licença da Câmara Municipal de Lisboa.

Que é preciso mudar o Plano Diretor Municipal. Então mudem e depressa, que as casas estão a fazer muita falta a muita gente.

 

 

Balelas e proteção de dados

cacela.jpg

Nas últimas semanas, foram as nossas caixas de correio eletrónicas invadidas com vários pedidos para atualização dos dados pessoais, pois se assim não fosse e em nome de uma superior política de proteção, iríamos deixar de receber as notificações.  

Claro, que todos temos mensagens que queremos e precisamos de continuar a receber.

Mas muitos, entre os quais me incluo, terão pensado, «ora bem, não respondendo pode ser que deixe de ser inundada com mensagens que não me interessam, nem me lembro de alguma vez ter solicitado.» 

Ingenuidade.

Elas continuam a aparecer, reproduzem-se em modo automático, concerteza. Parecem os tentáculos destas árvores esculturas da foto, a quererem chegar a todo o lado.

Então para quê, mais estas balelas que nos despejaram? Para ainda apanharem mais dados, seguramente.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D