Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ninguém é feliz sozinho

Ninguém é feliz sozinho

Os nossos monumentos e o seu uso

sesimbra.jpg

Nos últimos anos, com a dureza da Troika, a mensagem passada para as instituições e organismos, era, «não há dinheiro, por isso sejam criativos».  

E daí, as vendas e os alugueres do nosso património. Procurou-se, em suma, a comercialização de tudo que pudesse valer alguma coisa.

Foram criadas tabelas com os custos referentes à utilização dos monumentos nacionais para eventos não públicos, que se traduziam no encaixe nos exauridos cofres de milhares de euros.

Sempre ouvi dizer, «vão-se os anéis fiquem os dedos.»

Por isso, não vou aqui debater se esta situação é boa ou má, se há monumentos mais aptos a receber eventos pagos e outros cuja dignidade os devia colocar num patamar superior. Acho apenas que hipocritamente, alguns tentam esconder a cabeça na areia, fingindo-se inocentes ou ignorantes acerca destas situações.

Ora este assunto não devia ser um facto político, nem se deviam procurar culpados, porque culpados somos todos nós e a nossa ganância. 

E sobretudo não tentem criar um novo facto que nos faça esquecer a seca, os fogos, a legionela e mais outras coisas, que estas sim, são bem importantes.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D